sábado, 1 de julho de 2017

(0)POSTE-ZERO DE JULHO/2017! (arquivo taroucando)

«PEDROGÃO GRANDE NÃO PODE CAIR NO ESQUECIMENTO DOS PORTUGUESES (ponto»)




Caros Bloguistas!


A pedido de vários "chefes de família" criamos esta rubrica, pra enviarmos os textos trazidos de outros Blogues, Facebook, Jornais, etc, a fim de "arejar" a rubrica dos Diversos!

No fundo vai servir como uma espécie de "arquivo público"!

Aqui os textos "encontrados" nos outros órgãos de CS, serão colocados tal e qual como foram publicado na fonte. Mas depois podem ser transformados em post e, neste caso, poderão sofrer pequenos ajustes, tais como cortes! (de acordo com as regras)

Aquele Abraço!
ProfAnónima

NB: DESTA VEZ, ESTE POST SAI DIFERENTE POIS QUEREMOS MOSTRAR QUE CONTINUAMOS A PENSAR NA TRAGÉDIA DE PEDROGÃO GRANDE!

23 comentários:

  1. ESCLARECIMENTO:

    Voltamos a lembrar que os textos só serão aqui publicados uns dias após saírem na fonte. Por norma, respeitamos o mínimo de 1 dia no caso de jornais diários e 3 dias no caso dos blogues. Estes prazos só não serão respeitados em caso de informações úteis e urgentes.

    ProfAnónima

    ResponderEliminar
  2. ESPAÇO PRA COLOCARMOS UM TEXTO QUE NOS FAÇA UM PONTO DE SITUAÇÃO, DUAS SEMANAS DEPOIS DO INÍCIO DO INCÊNDIO

    ResponderEliminar
  3. ASSUNTO: REVISÃO DO PDM-TAROUCA--(I)

    A CÂMARA INFORMA QUE ESTÁ ABERTO O PERÍODO DE DISCUSSÃO PÚBLICA DA REVISÃO DO PDM

    «DISCUSSÃO PÚBLICA

    A proposta final de Revisão do Plano Diretor Municipal foi publicada no Diário da República, 2.ª série — N.º 126, de 3 de julho de 2017, aviso n.º 7445/2017 (224 KB), tendo entrado em vigor no dia 11 de julho de 2017.

    A Câmara Municipal de Tarouca procedeu à abertura do Período de Discussão Pública da proposta final da Revisão do Plano Diretor Municipal de Tarouca.


    O período de Discussão Publica terá uma duração de 30 dias seguidos, contados a partir do 5º dia útil, após a publicação do Aviso no Diário da República, pelo que, decorrerá entre 11 de julho e 10 de agosto de 2017.



    No decorrer do período de discussão pública, os interessados podem formular por escrito as suas reclamações, observações ou sugestões, por carta registada com aviso de receção, ou entregues diretamente na Divisão de Gestão Urbanística e Ambiente, ou ainda por correio eletrónico para o endereço pdm@cm-tarouca.pt ou revisaopdm@cm-tarouca.pt.



    A proposta de revisão do PDM de Tarouca está disponível para consulta, todos os dias, incluindo sábados, domingos e feriados, durante o período de atendimento ao público (9h-16h) na Divisão de Gestão Urbanística e Ambiente da Câmara Municipal de Tarouca e no Site Institucional do Município de Tarouca.»

    DAQUI:http://www.cm-tarouca.pt/frontoffice/pages/313

    ResponderEliminar
  4. ASSUNTO: REVISÃO DO PDM-TAROUCA--(II)

    O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA MUNICIPAL INFORMA DA DISCUSSÃO PÚBLICA E PEDE A PARTICIPAÇÃO DOS CIDADÃOS

    «Assembleia Municipal de Tarouca
    8 h ·
    Interessa a todos os cidadãos saberem que se encontra aberto o período de discussão pública da Revisão do Plano Diretor Municipal de Tarouca.
    O Executivo Municipal definiu que o PDM estará disponível para consulta pública, 30 dias seguidos, ( inclui sábados/ domingos e feriados), entre os dias 11 de julho corrente e 10 de agosto próximo.
    O Plano Diretor Municipal é um documento com enorme importância para a gestão dos Concelhos, nomeadamente, para a sua evolução económica, social e humana, por isso, estar atento e participar neste período de discussão pública é um direito e dever de todos os Tarouquenses.
    Participar é um exercício de cidadania ativa.
    Tarouca, 11 de julho de 2017.
    Com um abraço de cidadania,
    O Presidente da Assembleia Municipal,
    Domingos Manuel Pinto Nascimento
    Consulte o PDM aqui: http://www.cm-tarouca.pt/frontoffice/pages/313»

    IN Facebook da Assembleia Municipal de Tarouca

    ResponderEliminar
  5. ASSUNTO: REVISÃO DO PDM-TAROUCA--(III)

    O PS-TAROUCA TOMA CONHECIMENTO DA DECISÃO DA CMT E MANIFESTA A SUA POSIÇÃO

    «PS Tarouca Autárquicas
    11 h ·
    Hoje é um dia muito importante para Tarouca. O Plano Diretor Municipal (PDM) proposto pelo actual executivo está disponível no site da Câmara Municipal de Tarouca para consulta. O PS Tarouca reprova este PDM. E não se revê nele por várias razões. Seguem abaixo algumas:
    . Nem as pessoas, nem as Juntas de Freguesia, nem empresas, nem ninguém foi auscultado neste processo;
    . não houve debate público;
    . até ao momento ninguém viu as atas da comissão de acompanhamento nem demais documentos inerentes a este processo;
    . há pessoas que saem muito prejudicadas com este processo e outras que saem muito beneficiadas;
    O PS Tarouca solicita em nome da transparêcia e da democracia que este processo seja imediatmente suspenso. Estamos em periódo de férias, ainda não chegaram os nossos emigrantes (interessados diretos) e estamos a dois meses e meio das eleições.
    Apelamos aínda, que na defesa do interesse dos próprios Munícipes peçam informações na Câmara Municipal de Tarouca sobre os seus terrenos e o novo enquadramento que estes terão aquando da aprovação deste documento tão importante para Tarouca.
    www.cm-tarouca.pt»

    IN Facebook do PS Tarouca-Autárquicas

    ResponderEliminar
  6. ASSUNTO: REFORMA FLORESTAL

    A REFORMA FLORESTAL (TB) PASSA POR AQUI?! (debate?)

    http://www.jn.pt/nacional/interior/gnr-vai-ter-papel-reforcado-com-reforma-da-floresta-8614904.html

    ResponderEliminar
  7. TRAZIDO DO BLOG ASAS DA MONTANHA-11/7/2017

    PEDROGÃO GRANDE: COMO ESTÃO A SER DISTRIBUÍDOS OS DONATIVOS DOS PORTUGUESES ÀS VÍTIMAS?!(...)

    «terça-feira, 11 de julho de 2017
    Somos um povo generoso, mas a quem falta a generosidade da persistência

    Acabei de ver um vídeo que me fora enviado pelo facebook, via messenger.
    O que vi conformou aquilo que todos já sabemos sobre nós portugueses. Frente à calamidade que surge, reagimos com o coração, somos imbatíveis na generosidade. O problema está na continuidade, na persistência. Reagimos como se as pessoas só tivessem fome, sede, frio, necessidade de medicamentos, de assistência, de casa... naquele momento inicial. Esquecemos que as necessidades são de ontem, de hoje e de amanhã.
    E esta falta de persistência na ação não é só dos cidadãos, é também dos governantes, das associações, dos movimentos.
    O vídeo retrata o momento em que chega um carregamento solidário de Cáceres (Espanha) a Pedrógão Grande e não há ninguém para receber a oferta.
    Igualmente refere o vídeo as muitas ofertas acumuladas mas que não chegam às pessoas que delas precisam a sério. E tantos necessitados que não têm transporte para vir à procura daquilo que precisam!
    O voluntariado, no início intenso, vai rareando.
    As burocracias, que em Portugal são esmagantes, impedem que os auxílios estatais e europeus cheguem a horas a quem necessita. E para quem precisa mesmo, uma hora é uma eternidade...
    Primeira socorram-se as pessoas, ajudem-se as pessoas, acompanhem-se as pessoas, ajude-se a abrir estradas de esperança às pessoas.
    Depois discutam-se as culpas e os culpados, peçam-se demissões, apurem-se os responsáveis, faça-se justiça. Mas não em cima do sofrimento evitável dos cidadãos!

    Postado por asas da montanha à(s) 16:32 »

    ResponderEliminar
  8. TRAZIDO DO JORNAL DO CENTRO-12/7/2017

    CDU-VISEU FALA SOBRE A TEMPESTADE DE GRANIZO DE TAROUCA, ETC

    «PCP quer que Governo tome medidas devido aos prejuízos causados pelo mau tempo (c/ som)

    O PCP quer que o Governo tome medidas imediatas para colmatar os prejuízos causados pelo mau tempo, na última semana, nos concelhos de Armamar, Tarouca e Tabuaço. Em questões apresentadas ao Ministro da Agricultura, o grupo parlamentar do PCP pretende que o Governo esclareça se já tomou ou está a pensar tomar medidas, como dá conta a deputada comunista, Ana Virgínia Pereira.

    (Reprodutor de áudio
    00:0000:00Use as setas cima/baixo para aumentar ou diminuir o volume.)

    No concelho de Tarouca foi a produção de baga do Sabugueiro e as vinhas que mais estragos sofreram. Já em Tabuaço, a chuva e o granizo atingiram principalmente as vinhas inseridas na Região Demarcada do Douro, os muros e as habitações. Em Armamar, os prejuízos maiores aconteceram nos pomares.»

    DAQUI:http://www.jornaldocentro.pt/pcp-quer-que-governo-tome-medidas-devido-aos-prejuizos-causados-pelo-mau-tempo-c-som/

    ResponderEliminar
  9. TRAZIDO DO TSF-13/7/2017

    EDUCAÇÃO: MÉDIAS DOS EXAMES NACIONAIS DA 1ª FASE!(2017)

    «Exames nacionais: médias melhoram a Português e Matemática
    13 DE JULHO DE 2017 - 11:00
    Já foram conhecidos os resultados dos exames nacionais de 12º ano. Economia regista a maior subida e Física e Química continua a ser a disciplina com pior nota.

    (FOTO)

    Na primeira fase dos Exames Nacionais foram realizadas mais de 332 mil provas. A subida é ligeira, mas ainda assim há melhores notas em Português e Matemática.

    No ano passado as provas de Português registaram uma média de 10,8 e este ano subiram para 11,1. Já a Matemática A, a subida é de 0,3 décima para 11,5.

    A subida maior registou-se na disciplina de Economia. No ano passado a média foi de 11 valores e este ano está em 12,1.

    Os resultados divulgados pelo Ministério da Educação revelam ainda uma descida na disciplina de Matemática Aplicada às Ciências Sociais de 11,4 para 10,1 valores (13 décimas).

    A disciplina com pior resultado volta a ser Física e Química, que baixou de 11,1 para 9,9.

    Consulte aqui a média dos resultados dos Exames Nacionais na primeira fase, por disciplina.»

    DAQUI:http://www.tsf.pt/sociedade/educacao/interior/exames-nacionais-medias-melhoram-a-portugues-e-matematica-8633543.html?utm_campaign=Echobox&utm_content=TSF&utm_medium=Social&utm_source=Facebook#link_time=1499940224

    ResponderEliminar
  10. TRAZIDO DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS-11/7/2017

    TITULO:???

    «Cova da Moura é Portugal
    PUB


    A ideia de que uma esquadra da polícia pode ser o local mais inseguro para um qualquer cidadão é aterradora, mas ainda se torna mais difícil de aceitar que um inquérito da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) tenha servido de nada para repor a justiça. No mínimo, houve pouco empenho nesse sentido. O Diário de Notícias revela hoje a acusação que o Ministério Público faz a uma esquadra inteira (18 agentes de Alfragide), depois de uma longa investigação da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária. Racismo, sequestro, violência e tortura na Cova da Moura. Mas não é apenas a atuação daqueles agentes que pode estar em causa (uma investigação e uma acusação não substituem o julgamento em tribunal), é também a IGAI, pelo que não fez, e o poder político, por fazer de conta que nada se passou.

    Em 2015, quando tudo isto terá acontecido, não faltaram as promessas de que seria feita justiça. O Alto-Comissariado para as Migrações e a Comissão para a Igualdade contra a Discriminação Racial fizeram-se ouvir e foi criada uma Comissão de Alerta Precoce para a Cova da Moura. Dois anos depois, em fevereiro deste ano, a advogada dos jovens agredidos escrevia no seu blogue que "todos viraram as costas". A acusação é de tal forma grave e as ofensas que a investigação dá como provadas de tal forma violentas que a opção que fizemos no DN, numa exceção que confirma a regra, foi a de transcrever algumas das ofensas racistas que o Ministério Público acusa os agentes de terem feito. É uma discussão que importa ter sempre presente. O uso ilegítimo da força por uma polícia é sempre condenável e esse crime é agravado se é cometido pelo ódio e discriminação racial em relação às vítimas. Não podemos dizer orgulhosamente que Portugal não é um país racista e aceitar que um caso como este se fique pelas meias-tintas da IGAI e pelo esquecimento dos políticos. Porque se trata de "terrorismo", a investigação foi feita pela UNCT, agora tem a palavra o Ministério Público e os tribunais. Faça-se justiça.


    574

    0

    2

    42
    Editorial

    11 DE JULHO DE 2017
    00:00
    Paulo Baldaia»

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. DAQUI:http://www.dn.pt/opiniao/editoriais/interior/cova-da-moura-e-portugal-8627042.html

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
    3. (TRANSFORMADO NO POST 18)

      Eliminar
  11. TRAZIDO DO DIÁRIO DE NOTÍCIAS-16/7/2017

    TITULO:???

    «INEM registou agressões da PSP a jovens como "quedas acidentais"

    Agressões contra seis jovens da Cova da Moura de que são acusados 18 polícias aconteceram em 2015 | ORLANDO ALMEIDA
    PUB


    Médicos e enfermeiros que transportaram jovens para o hospital confiaram na palavra da polícia e desvalorizaram ferimentos

    Quando foram chamados à esquadra da PSP de Alfragide para levar ao hospital jovens da Cova da Moura feridos, os técnicos de emergência médica receberam informação só dos polícias. INEM diz que tem "confiança" nos seus registos

    O INEM registou "queda acidental" como causa dos ferimentos dos jovens que foi buscar em 2015 à esquadra da PSP de Alfragide para os transportar ao hospital da Amadora. De acordo com os formulários de entrada na urgência, que fazem parte do processo de investigação judicial que o DN consultou, essa é a causa indicada pelos profissionais de emergência médica quando acompanharam os jovens, entre eles Celso Lopes, que tinha sido atingido com um tiro de bala de borracha na coxa.

    Tanto os elementos do INEM como os bombeiros da Amadora, chamados à esquadra no final do dia 5 de fevereiro de 2015, foram ouvidos pela Unidade Nacional de Contraterrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária (PJ), que coordenou a investigação titulada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) da Amadora. Os seus testemunhos, conforme foi possível confirmar no processo, pouco ou nada contribuíram para fundamentar a tese de que os jovens tinham sofrido agressões graves, sido torturados, sequestrados e injuriados com motivação de ódio racial - como concluiu o Ministério Público (MP) na acusação contra todos os 18 polícias que estiveram de serviço naquela esquadra nesse dia. Técnicos de emergência e bombeiros assistiram os jovens ainda na esquadra e disseram aos investigadores que não se aperceberam nem viram ninguém a ser agredido. A informação sobre as quedas acidentais teve origem nos próprios agentes da PSP que ali se encontravam, de acordo com o relato que fizeram ao DIAP e à UNCT.

    (CONTINUA)

    ResponderEliminar
  12. (CONTINUAÇÃO)

    INEM mantém "confiança"

    Confrontada pelo DN com o registo em causa, depois de já ter sido conhecida a acusação, fonte oficial do INEM assegura ter "total confiança no serviço prestado pelos seus profissionais, incluindo na informação que é registada nos documentos clínicos que acompanham a vítima". O porta-voz oficial diz que, "apesar de qualquer cidadão ter o dever de participar um crime e o Ministério Público ter a competência de investigar, note-se que os profissionais do INEM são solicitados após o acidente ou a doença ocorrer, ou seja, não presenciaram os factos que deram origem ao sinistro ou alegado crime. Acresce que, no âmbito de inquéritos que visam investigar a prática de alegados crimes, os profissionais do INEM são frequentemente inquiridos pelo Ministério Público a fim de testemunharem sobre as situações presenciadas durante a prestação de cuidados de saúde pré-hospitalares às vítimas".

    Questionado sobre como se concluiu que os jovens tinham sofrido uma queda, esta fonte oficial sublinha que "em qualquer situação, no momento em que chegam ao local onde se encontra a vítima que precisa de ajuda, os profissionais do INEM têm o dever de recolher, junto da própria vítima e/ou eventuais testemunhas que presenciaram os factos, toda a informação disponível e pertinente que permita a prestação mais adequada da assistência médica pré-hospitalar. Depois de recolher a informação e de serem prestados os cuidados de saúde iniciais à vítima, os profissionais do INEM devem registar cuidadosamente - da forma mais clara, detalhada e objetiva possível - toda a informação que considerem relevante das observações e tratamentos realizados".

    E como se explica a contradição implícita pelas conclusões expressas na acusação do MP, em relação à causa desses ferimentos? De acordo com os relatórios clínicos, que também fazem parte do processo, os jovens tinham vários hematomas e lesões por todo o corpo e rosto, dentes partidos, traumatismos cranianos. O INEM garante que não foi influenciado pela informação dada pelos agentes. "Os profissionais do INEM têm o dever constitucional, consagrado no Código de Ética dos Profissionais do INEM, de tratar qualquer cidadão de forma justa e imparcial, não devendo ser influenciados por informações de terceiros."

    Quanto a possíveis medidas para prevenir este tipo de contradições, o INEM admite que, "caso surjam indícios fortes de consubstanciar a prática de infração disciplinar, o INEM pode e deve instaurar processos de inquérito ou disciplinares". Não diz, no entanto, se o pretende fazer neste caso.

    Cova Da Moura

    16 DE JULHO DE 2017
    00:04
    Valentina Marcelino»

    DAQUI:http://www.dn.pt/portugal/interior/inem-registou-queda-acidental-como-causa-das-lesoes-de-jovens-agredidos-8640379.html

    ResponderEliminar
  13. TRAZIDO DO FACEBOOK DA INOVTERRA-JULHO/17

    ASSUNTO: CAMPO DE FÉRIAS

    «Associação Inovterra adicionou 4 fotos novas — em Tarouca
    13/7 às 23:05 ·
    A Inovterra acaba de receber em Tarouca 17 jovens de vários Países do Mundo. Estes Jovens vêm participar num CTI (Campo de trabalho internacional) organizado pela Associação Inovterra em parceria com o Instituto Português do Desporto e da Juventude. Estes jovens vão reavivar uma rota perdida à mais de 300 anos ao longo do rio Varosa. Welcome to Tarouca! A Aventura vai começar :)»

    ResponderEliminar
  14. TRAZIDO DO FACEBOOK DO PS TAROUCA AUTÁRQUICAS-21/7

    ASSUNTOS TERTÚLIAS DO PS

    «PS Tarouca Autárquicas com Afonso Dias e Js Tarouca em Tarouca.
    1 h ·
    Por razões de força maior a tertúlia agendada para o próximo sábado (amanhã) vai ser adiada para a próxima quarta feira (26 de Julho) às 22H. O tema será o PDM. Dada a importância do assunto o PS Tarouca teve que adiar esta tertúlia para nova data. Apareça! o assunto é do interesse de todos...»

    ResponderEliminar
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  16. TRAZIDO DO JORNAL ONLINE OBSERVADOR--23/7/2017

    COMENTÁRIO SEMANAL DO Dr MARQUES MENDES!

    «PSD
    Marques Mendes. André Ventura nunca deveria ter sido candidato em Loures
    HÁ 2 HORAS
    8
    Antigo líder do PSD diz que André Ventura nunca deveria ter sido candidato à Câmara de Loures pelo PSD, não pelos comentários racistas, que critica, mas por ser comentador de futebol numa televisão.

    Partilhe

    Autor


    Nuno André Martins
    nunoapmartins
    Facebook
    Email
    Mais sobre

    FUTEBOL
    LOURES
    POLÍTICA
    PSD
    DESPORTO
    PAÍS
    O antigo líder do PSD Luís Marques Mendes defendeu que o PSD devia ter retirado o apoio ao candidato do PSD à Câmara de Loures, André Ventura, que tem estado no centro de uma polémica depois de declarações sobre a comunidade cigana, e diz que este nunca deveria ter sido candidato, não pelos comentários considerados racistas criticados pelos restantes partidos, mas por ter sido comentador de futebol numa televisão portuguesa.

    No seu habitual espaço de comentário na SIC, Marques Mendes confessou que gostaria que o PSD tivesse tomado outra decisão quando, depois das declarações do candidato e de o CDS-PP ter decidido sair da coligação em Loures, manteve o apoio ao candidato. “Gostaria de uma posição diferente”.

    Luís Marques Mendes foi mais longe e disse que André Ventura nunca devia ter sido candidato a Loures, não pelos comentários pelos quais tem sido criticado, mas por outros motivos: “ele é comentador de futebol noutra televisão”, disse.

    O antigo líder do PSD disse que deveria haver uma separação entre a política e o futebol e que, no passado, o PSD até já tinha quebrado essa ligação, mas agora está a voltar a aceitar.

    Sobre os comentários do candidato sobre a comunidade cigana, o comentado diz que André Ventura “deve ser adepto daquele principio que é, é preciso é que falem de mim” e disse que “se queria notoriedade por ser pouco conhecido, conseguiu”.

    Marques Mendes disse ainda que o candidato errou em generalizar a questão, admitindo que há problemas pontuais, isolados em Loures e noutros concelhos com algumas comunidades ciganas”, algo que já tinha sido dito também pelo anterior presidente de Câmara de Loures, um socialista.

    O candidato errou também, disse, por culpa a comunidade pelo não cumprimento da lei, porque se a lei não é cumprida, então “a falhar é das autoridades” que têm a responsabilidade de fazer cumprir a lei.»

    DAQUI:http://observador.pt/2017/07/23/marques-mendes-andre-ventura-nunca-deveria-ter-sido-candidato-em-loures/

    ResponderEliminar
  17. TRAZIDO DO OBSERVADOR-24/7/2017

    AMBIENTE: GOVERNO RECONHECER QUE PORTUGAL ESTÁ EM SECA SEVERA!

    «GOVERNO
    Governo reconhece seca severa no continente, desde 30 de junho
    24/7/2017, 12:06
    O Governo reconheceu a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, com repercussões negativas na atividade agrícola.

    Partilhe

    O ministro lembra ainda que, até ao final de junho, se observou em quase todo o território precipitação acumulada inferior à média registada entre 1971 e 2000
    SEBASTIEN NOGIER/EPA

    Autor


    Agência Lusa
    Mais sobre

    GOVERNO
    POLÍTICA
    O Governo reconheceu esta segunda-feira a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado em Diário da República.

    No preâmbulo do diploma, assinado na passada terça-feira e com efeitos a 30 de junho de 2017, o ministro da Agricultura, Capoulas Santos, recorda que o ano hidrológico 2016/2017 se tem caracterizado, em termos gerais, por “um défice de precipitação, valores das temperaturas média e máxima muito acima do normal”, em particular desde o início da primavera, com ondas de calor durante dias consecutivos, baixo teor de água no solo e disponibilidades hídricas abaixo das médias de armazenamento.

    Em termos agrícolas, refere o documento, “denota-se já nas atividades agrícolas que suportam a alimentação animal, culturas forrageiras e pastagens, quebras de produtividade relevantes, pelo que, em muitas situações, se antecipa o consumo das reservas existentes destinadas ao período estival ou mesmo o desvio para pastoreio de áreas de cereais para grão”.

    Capoulas Santos destaca ainda os prejuízos registados nos cereais para grão, traduzidos numa quebra de qualidade e de rendimento, e lembra que a falta de água para rega levou à redução de áreas semeadas nas culturas de arroz, milho para grão, tomate para indústria, melão e batata.

    Este passo agora dado pelo Governo inicia procedimentos para a disponibilização de compensações aos agricultores.

    Segundo o diploma, “o agravamento destes fatores ao longo do ano hidrológico, bem como o efeito cumulativo dos mesmos, resultaram numa situação que se traduzia, no final de junho, em 72,3% do território em seca severa e 7,3% em seca extrema e num valor médio de precipitação acumulada de 75 %”, lê-se no despacho.

    O ministro lembra ainda que, até ao final de junho, se observou em quase todo o território precipitação acumulada inferior à média registada entre 1971 e 2000 que, em determinadas zonas, representou uma diminuição de quase 50%.

    Também o teor de água no solo, em percentagem da capacidade de água utilizável pelas plantas, se situou entre 30% e 50%, exceto na região norte.

    Para esta situação terão contribuído as elevadas temperatura verificadas em junho, um dos mais quentes desde que existem registos, com o valor da temperatura máxima do ar de 29,57ºC “, o terceiro mais alto desde 1931.
    O Governo, no despacho, lembra ainda a ocorrência entre 7 a 24 junho de ondas de calor em todo o território, com exceção da faixa litoral, e consequentemente, no final de junho, apenas três (Lima, Ave e Arade) das 12 bacias hidrográficas existentes acima do nível médio de armazenamento.

    Consequente, conclui-se que o território continental encontra-se sujeito a uma seca extrema ou severa e que, pela sua gravidade, consubstancia um fenómeno climático adverso”, conclui.»

    DAQUI:http://observador.pt/2017/07/24/governo-reconhece-seca-severa-no-continente-desde-30-de-junho/

    ResponderEliminar
  18. TRAZIDO DO OBSERVADOR--19/7/2017

    AMBIENTE: PORTUGAL EM SECA SEVERA! (plano)

    «METEOROLOGIA

    Portugal já tem a partir Plano de Prevenção e Acompanhamento dos Efeitos da Seca
    19/7/2017, 14:35
    1
    Portugal dispõe de um Plano de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca, que contempla um conjunto de medidas preventivas deste fenómeno.

    Partilhe

    João Matos Fernandes, adiantou que 16 albufeiras portuguesas estão a menos de 40% da sua capacidade
    NIC BOTHMA/EPA

    Autor


    Agência Lusa
    Mais sobre

    METEOROLOGIA
    PAÍS
    CIÊNCIA
    Portugal dispõe, a partir desta quarta-feira, de um Plano de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca, que contempla um conjunto de medidas preventivas deste fenómeno, que regista os piores níveis desde 1995.

    Este plano foi aprovado esta quarta-feira na primeira reunião da comissão, de caráter interministerial, que tem por missão identificar os problemas e acompanhar a evolução da atual situação da seca em Portugal continental.

    Na conferência de imprensa realizada após esta reunião, o ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, adiantou que 16 albufeiras portuguesas estão a menos de 40% da sua capacidade, enquanto no final do mês passado eram 14 nesta situação.

    Na reunião da comissão que acompanha a situação da seca participaram os ministros do Ambiente, da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, do Mar, Ana Paula Vitorino e o ministro-Adjunto, Eduardo Cabrita.»

    DAQUI:http://observador.pt/2017/07/19/portugal-ja-tem-a-partir-plano-de-prevencao-e-acompanhamento-dos-efeitos-da-seca/

    ResponderEliminar